Um estudo sobre a falha, 2014. (scroll down for english version)                                                                                                                                                           
[documentos, lâmpada, sensor de presença com a polaridade invertida, grafite, carvão e lapis dermatográfico sobre papel / 70x100cm]
--------
 
“O modo mais provável do mundo ser destruído, como concorda a maioria dos especialistas, é através de um acidente. É aí que nós entramos. Somos profissionais da programação. Nós causamos acidentes”.
Nathaniel Borenstein, inventor do MIME, em: Programming as if People Mattered:Friendly Programs, Software Engineering and Other Noble Delusions, Princeton University Press, Princeton, NJ, 1991.
 
Em 25 de fevereiro de 1991 na primeira guerra do golfo, próximo a uma província em Dharan, Arábia Saudita, um míssil Scud atingiu um acampamento do exército norte-americano matando 28 soldados dos EUA. O acampamento era protegido por um sistema de defe- sa com mísseis Patriot, que por alguma razão, falhou ao rastrear e interceptar o míssil Scud. Um ano depois, uma investigação revelou que o problema no Patriot ocorreu por uma falha fatal no sistema de controle da bateria do armamento: era uma falha matemática. O tempo medido em décimas de segundo pelo relógio interno do sistema foi multiplicado por 1/10 para se obter o tempo em segundos. O valor 1/10, que possui uma expansão binária infinita, foi truncada a 24 bits após o ponto de raiz. O código não pôde computar o valor do infinito.
Por outro lado, este míssil Patriot não atingindo seu alvo (em virtude da falha em seu código), caiu próximo a outra província na Arábia Saudita, em um local despovoado salvando grande parte da população. Seguindo um fluxo de falhas, em novembro de 1992 houve um colapso no sistema de comunicação do serviço de ambulâncias em Londres. Em junho de 1993, durante dois dias, não foi autorizada nenhuma operação de cartão de crédito em toda a França. Todos esses defeitos foram investigados e suas causas determinadas, mas não se tem garantia que algo semelhante não possa voltar a ocorrer a qualquer momento. O desenvolvimento do trabalho se dá na idéia da falha matemática como área de pesquisa e pensamento, tendo como base o termo Tolerância a Falhas, criado pelo lithuano A.Avizienis em 1967. O termo desde então, tem sido amplamente utilizado pela comunidade acadêmica para designar toda a área
de pesquisa ocupada com o comportamento de sistemas computacionais sujeitos a ocorrência de falhas. O próprio termo tolerância
a falhas como designação de área sofre várias críticas, a maior delas é a possibilidade de entender o termo como uma propriedade absoluta. Nesta visão distorcida, um sistema tolerante a falhas toleraria toda e qualquer falha em qualquer situação.
 ————
A Falha na mídia_
 
Falhas no sistema dos mísseis Patriot podem ter provocado mortes 22h10 - 20/02/2004
 
Nova York, 20 fev (EFE).- O Exército dos Estados Unidos levou o sistema de mísseis Patriot para o Iraque antes de corrigir seus defeitos, causas da queda provocada por “fogo amigo” de aviões militares britânicos e americanos, segundo informou hoje, sexta-feira, o canal CBS.
O canal de televisão emitirá uma reportagem sobre o assunto, com entrevistas a pesquisadores e especialistas em armamento, entre eles o ex-secretário de Defesa Philip Coyle, no programa “60 minutos” do próximo domingo. Segundo o programa, o sistema de mísseis Patri- ot tem falhas nos sistemas informáticos que poderiam ter sido a causa da queda de um caça Tornado britânico em março do ano passado e de um F-18 americano em abril, acidentes que provocaram a morte dos pilotos.
Outra falha aconteceu no início da guerra contra o Iraque quando uma bateria de mísseis Patriot atingiu uma formação de quatro caças F-16 americanos.
“Acho que os comandantes militares sabiam dos problemas, mas estavam tão voltados para disparar contra seus objetivos que todos os outros assuntos, como a possibilidade de provocar um fogo amigo, não tinham a mesma importancia”, comenta Coyle.
O Pentágono confirmou que o sistema de mísseis permitiu destruir 10 mísseis lançados pelos iraquianos durante a guerra, mas também produziu três casos de “fogo amigo”.
“Está claro que o fato de não se ter corrigido esses erros que todos sabiam que existiam há 10 ou 12 anos provocaram essas mortes desnecessárias”, explica na reportagem o especialista em armas Joseph Cirincione.
Ele acrescentou que “o sistema é um projeto multimilionário, que implica muito dinheiro e a carreira profissional de muita gente”.
Não é a primeira vez que esse sistema de defesa de mísseis desperta a preocupação e a decepção, já que também foram registrados importantes falhas na primeira guerra do Golfo em 1991.
O Pentágono, o exército americano e a firma Raytheon, que executa o sistema de mísseis Patriot, negaram-se a falar para a reportagem, segundo CBS.
fonte: UOL notícias / 20/02/2004 - http://noticias.uol.com.br/inter/efe/2004/02/20/ult1808u5785.jhtm
———-

MESMO APÓS FALHAS, MARINHA RUSSA DEFENDE USO DE MÍSSIL BULAVÁ
 
‘’...Apenas no início de 2014 foram construídos 46 mísseis, dos quais 19 foram lançados durante os testes que tiveram início em 2004. Segundo dados oficiais, apenas oito de todos esses lançamentos foram considerados bem-sucedidos e outros dois parcialmente bem-sucedidos. Nenhum outro míssil estratégico soviético ou russo possui indicadores tão baixos. Iúri Solomonov, projetista-chefe do SLBM, comentando em 2007 a série de falhas do seu produto, explicou-se
longamente, mas de modo muito vago. “Era impossível prever aquilo com que nos deparamos durante os testes, uma
vez que é um assunto encerrado eu não vou falar das particularidades de construção, independentemente do que quer
que digam sobre a possibilidade de ter previsto as falhas. Para se entender de que valores estamos falando, em termos
de avaliações quantitativas, posso dizer que os acontecimentos, no decorrer dos quais se deram situações técnicas anormais, são avaliados em milésimos de segundo, sendo que têm um caráter totalmente aleatório”, disse então Solomonov.’’
fonte: / 04/02/2014 - http://nao-questione.blogspot.com.br/2014/02/mesmo-apos-falhas-marinha-russa-defende.html
 
* Os argumentos e fatos ultilizados nesta pesquisa não pretendem se colocar como verdade absoluta, apenas apontam questionamentos possíveis em veículos de informação acessíveis por qualquer pessoa. Todos os dados usados na pesquisa desta pesquisa foram reunidos entre 2012 e 2014 através de programas de busca online. —- Victor Leguy, outubro de 2014 
------------


A study on the failure, 2014
[documents, lamp, inverted motion detector, graphite, charcoal e dermatographic pencil on papel / 70x100 cm]
-----------
 
"The most likely way for the world to be destroyed, as most experts agree, is by accident. That's where we come in. We are programming professionals. We cause accidents. "           
Nathaniel Borenstein, MIME inventor in: Programming the People Mattered if: Friendly Programs, Software Engineering and Other Delusions Noble, Princeton University Press, Princeton, NJ, 1991.

 
On February 25, 1991 in the first Gulf War, next to a province in Dharan, Saudi Arabia, one Scud missile hit a camp of the US army killing 28 US soldiers. The camp was protected by a Patriot missile defense system, which for some reason, failed to track and intercept the Scud missile. A year later, an investigation revealed that the problem in the Patriot occurred a fatal flaw in the arms of the battery control system: it was a mathematical failure. The time measured in the tenths of a second internal clock system is multiplied by 1/10 to obtain the time in seconds. The value of 1/10, which has an infinite binary expansion is truncated to 24 bits after the root point.
On the other hand, one of these Patriot missiles not reaching its target, fell close to another province, its warhead detonated not saving much of the population. In November 1992 there was a breakdown in the communication system of the ambulance service in London. In June 1993, for two days, was not allowed any credit card operation throughout France. All these defects were investigated and their particular causes, but do not have assurance that something similar can not happen again at any time development occurs in the mathematical idea fails as an area of research and thought, based on the term Fault Tolerance established by A.Avizienis lithuano in 1967. The term since then has been widely used by the academic community to describe the overall research area occupied by the behavior of computer systems subject to the occurrence of failures. The very term fault tolerance as area designation undergoes various criticisms, the largest of which is the ability to understand the term as an absolute property. In this view distorted or not, a fault tolerant system tolerate any failure in any situation.
 
Failure in the media_

Patriot missile system crashes may have killed / 22h10 - 02/20/2004
The United States Army has taken the Patriot missile system to Iraq before correcting its defects, the cause of the fall caused by "friendly fire" of British and American military aircraft, according to reports today, Friday, the CBS channel.
The television channel will broadcast a report on the subject, with interviews with researchers and weapons experts, including former Secretary of Defense Philip Coyle, on Sunday's "60 Minutes" program. According to the program, the Patriot missile system has flaws in computer systems that could have been the cause of the fall of a British Tornado fighter in March last year and an American F-18 in April, accidents that killed pilots
Another flaw occurred at the start of the war against Iraq when a battery of Patriot missiles hit a formation of four American F-16 fighters.
"I think military commanders knew about the problems, but they were so focused on firing on their targets that all other issues, such as the possibility of sparking a friendly fire, were not of equal importance," Coyle says.
The Pentagon confirmed that the missile system allowed the destruction of 10 missiles launched by the Iraqis during the war, but also produced three cases of "friendly fire".
"It is clear that failure to correct those mistakes that everyone knew existed 10 or 12 years ago have caused these unnecessary deaths," said gun specialist Joseph Cirincione in the report.
He added that "the system is a multimillion-dollar project that involves a lot of money and a lot of people's professional careers."
This is not the first time that this missile defense system has aroused concern and disappointment since important flaws were also recorded in the first Gulf War in 1991.
The Pentagon, the US Army and the Raytheon firm, which runs the Patriot missile system, declined to speak for the report, according to CBS.


source: UOL noticias / 02/20/2004 - http://noticias.uol.com.br/inter/efe/2004/02/20/ult1808u5785.jhtm

EVEN AFTER FAILURES, RUSSIAN NAVY DEFENDS USE OF MISSILE BULAVA_

'' ... Only 46 missiles were built at the beginning of 2014, of which 19 were launched during the tests that began in 2004. According to official data, only eight of all these launches were considered successful and two other partially well- happened. No other Soviet or Russian strategic missile has such low indicators. Iúri Solomonov, chief designer of SLBM, commented in 2007 on the series of failures of his product, it was explained
long, but very vague. "It was impossible to predict what we came across during the
since it is a closed subject I will not talk about the particularities of construction, regardless of what you want
about the possibility of having predicted failures. In order to understand what values ​​we are talking about, in
of quantitative evaluations, I can say that the events, during which abnormal technical situations occurred, are evaluated in milliseconds, and are totally random in character, "Solomonov said.

source: / 04/02/2014 - http://nao-questione.blogspot.com.br/2014/02/mesmo-apos-falhas-marinha-russa-defende.html
* The arguments and facts used in this research are not intended as absolute truth, but only point to possible questions in information vehicles accessible by anyone. All data used in the research of this research were gathered between 2012 and 2014 through online search programs. - Victor Leguy, October 2014


Patriot, 1991 / da série um estudo sobre a falha ( políptico )
Imagem gerada por um Algoritmo(código) através do software Processing 2 - usando os dados da trajetória do míssil Patriot (guerra do golfo, 1991)  na interface, para que a imagem acima fosse gerada. Estipulando uma possível imagem gerada por outro elemento de controle e programação no caso o software, numa tradução que inclui a falha em sua formalização final como a projeção que representasse a situação onde o Míssil deveria ter caído.
--------
 
Patriot 1991 / series a study of the fault (polyptych)
Image generated by an algorithm (code) by 2 Processing software - using path data Patriot Missile (Gulf War, 1991) in the interface, so that the image above was generated. Stipulating a possible image generated by another element of control and programming in case the software, a translation that includes the failure to end its formalization as the projection that represents the situation where the missile should have fallen.

Patriot, 1991 / da série um estudo sobre a falha ( políptico )
Algoritmo(código) criado através do software Processing 2 - usando os dados da trajetória do míssil Patriot (guerra do golfo, 1991)
----------
 
Patriot 1991 / series a study of the fault (polyptych)
Algorithm (code) created by the Processing software 2 - using the path data from a Patriot missile (Gulf War, 1991)



Patriot, 1991 / da série um estudo sobre a falha ( políptico )
diagrama de tolerância de falhas - propõe que o sistema se recupere, independente do tipo de falha, onde neste processo parte crucial da informação contida no sistema se perde.
----------
 
Patriot 1991 / series a study of the fault (polyptych)
fault tolerance diagram - proposes that the system recovers, regardless of the type of failure, which in this crucial part of the process of the information contained in the system is lost.​
 




Relativo l, ll, lll e lV/ 2014 da serie, Um estudo sobre a falha_
[documentos, lâmpada, sensor de presença com a polaridade invertida, grafite, carvão e lapis dermatográfico sobre papel / 70x100 cm (2x), 35x55cm, 60x85cm]
-------------
Relative l, ll, lll e lV/ 2014 - series, A study on the failure.
[documents, lamp, presence sensor with inverted polarity, graphite, charcoal and dermatographic pencil on paper / 70x100 cm (2x), 35x55cm, 60x85cm]
--------
Relativo l, 2014 / Série, Um estudo sobre a falha.
[documentos, lâmpada, sensor de presença com a polaridade invertida, grafite, carvão e lapis dermatográfico sobre papel / 70 x 100 cm]

O Trabalho em sua fase posterior - o sensor (com a polaridade invertida) de presença é ativado e a lâmpada interna se apaga, revelando o que esta escrito sob a parte externa do vidro. O observador deve permaneçer em seu lugar até que a luz acenda mais uma vez.
---------
Relative l, 2014 / Series A study on the failure. 
[Documents, lamp, presence sensor with inverted polarity, graphite, charcoal and pencil on paper dermatográfico / 70 x 100 cm]

The work in a second stage - the motion sensor (with inverted polarity) is activated and the internal lamp turns off, revealing what is written on the outside of the glass. The observer must remain in place until the light turns on again.


detalhe [ dentro do trabalho]

-----------
detail [inside of the work]

--------
Relativo ll, 2014 / Série, Um estudo sobre a falha.
[documentos, lâmpada, sensor de presença com a polaridade invertida, grafite, carvão e lapis dermatográfico sobre papel / 70 x 100 cm]

O Trabalho em sua fase posterior - o sensor (com a polaridade invertida) de presença é ativado e a lâmpada interna se apaga, revelando o que esta escrito sob a parte externa do vidro. O observador deve permaneçer em seu lugar até que a luz acenda mais uma vez.
---------
Relative ll, 2014 / Series A study on the failure. 
[Documents, lamp, presence sensor with inverted polarity, graphite, charcoal and pencil on paper dermatográfico / 70 x 100 cm]

The work in a second stage - the motion sensor (with inverted polarity) is activated and the internal lamp turns off, revealing what is written on the outside of the glass. The observer must remain in place until the light turns on again.







detalhe [ dentro do trabalho]
-----------
detail [inside of the work]
--------
Relativo lll, 2014 / Série, Um estudo sobre a falha.
[documentos, lâmpada, sensor de presença com a polaridade invertida, grafite, carvão e lapis dermatográfico sobre papel / 70 x 100 cm]

O Trabalho em sua fase posterior - o sensor (com a polaridade invertida) de presença é ativado e a lâmpada interna se apaga, revelando o que esta escrito sob a parte externa do vidro. O observador deve permaneçer em seu lugar até que a luz acenda mais uma vez.
---------
Relative lll, 2014 / Series A study on the failure. 
[Documents, lamp, presence sensor with inverted polarity, graphite, charcoal and pencil on paper dermatográfico / 70 x 100 cm]

The work in a second stage - the motion sensor (with inverted polarity) is activated and the internal lamp turns off, revealing what is written on the outside of the glass. The observer must remain in place until the light turns on again.


detalhe [ dentro do trabalho]

-----------
detail [inside of the work]




Relativo lV, 2016 / Série, Um estudo sobre a falha.
[documentos, grafite, carvão e lapis dermatográfico sobre papel algodão e papel vegetal antigos / 120x 220 cm]
---------
Relative lll, 2014 / Series A study on the failure.
[Documents, graphite, charcoal and dermatográphic pencil on old paper / 120 x 220 cm]


detalhe

-----------
detail 
Back to Top